Comece a investir ainda este ano: conheça os requisitos e 7 dicas poderosas

A alguns anos que a prática de investir tem se tornado parte da realidade de muitos brasileiros, atravessados pela crise, foi preciso aprender mais sobre essa modalidade econômica. Contudo, nem todos sabem por onde começar e para isso, é preciso estudar.

ANÚNCIO

São inúmeras as formas de começar a se aventurar pelo mercado financeiro, entretanto é preciso conhecer um pouco sobre finanças para não sair perdendo nas transações. Pensando em auxiliar o jovem investidor, separamos as sete principais dicas para começar a investir imediatamente.

Fonte: reprodução/internet

Neste artigo você vai descobrir:

ANÚNCIO
  • O que os investimentos podem gerar;
  • O que é um investimento;
  • Renda fixa e renda variável;
  • Requisitos e dicas;
  • Planejamento;
  • Dívidas;
  • Objetivos;
  • Reserva de recursos e autocontrole;
  • Corretora de valores e responsabilidade.

O que é possível alcançar com os investimentos

Sabemos muito bem que dinheiro não trás felicidade, mas apesar de não trazer a felicidade em si, torna possível alcançar esse estágio com mais facilidade. É por meio de nossas rendas que podemos tornar sonhos possíveis, como uma viagem ou mesmo a compra de algum item desejado.

Comece a investir ainda este ano: conheça os requisitos e 7 dicas poderosas
 Fonte: reprodução/internet

Nem sempre é só por meio do trabalho que conseguimos capital financeiro, através dos investimentos, é possível obter ganhos espetaculares. Além disso, é por meio dos investimentos que dá para se alcançar a tão sonhada aposentadoria ou mesmo acumular um milhão de reais.

ANÚNCIO

O que posso alcançar com os investimentos

Investir é recomendado para todos aqueles que buscam obter melhores condições de vida, seja se aposentando ou tendo uma boa reserva guardada. O importante é saber que está amparado por seus investimentos, caso surja alguma necessidade.

O que é um investimento

Para investir é preciso ter algum montante guardado para aplicá-lo em algum local, podendo ser pequenas quantias. Para se tornar um investidor, o sujeito aplica esse montante em algum produto financeiro, na busca de obter rendimentos e lucros. Para ser considerado um rendimento lucrativo, é necessário que a taxa de lucro seja superior a de custos.

Fonte: reprodução/internet

Existem dois tipos de rendimentos onde é possível fazer aplicações, a renda fixa e a variável, os prazos, riscos e lucros variam de um para outro. A renda fixa, por exemplo, é bastante conhecida por trabalhar com regras e prazos, um dos mais conhecidos produtos financeiros são os do tesouro direto.

Tipos de investimento

A renda variável é um investimento que apresenta mais riscos, mas que também podem gerar mais ganhos, um dos exemplos de renda variável é a bolsa de valores. Ao aplicar dinheiro nesse produto, o lucro pode aumentar ou pode diminuir, os riscos são maiores mas os lucros também.

Entenda melhor a renda fixa

Esta é a modalidade de investimento mais recomendada para aqueles que não querem correr riscos. Ou seja, ela permite que os investidores tenham mais segurança na hora de aplicar seu dinheiro. É recomendado principalmente para aquelas pessoas que não possuem reservas emergenciais.

Fonte: reprodução/internet

É chamada de renda fixa por ter uma lucratividade previsível, isto é, ela acompanha percentuais previamente fixados, como a taxa selic, o CDI ou mesmo a inflação. A renda fixa é uma categoria, dentro dela existem diversas opções para se investir. Dentre elas temos:

  • Poupança;
  • CDB;
  • Tesouro Direto;
  • LCI e LCA
  • CRI/CRA;
  • Letra de Câmbio.

Como funciona

Neste tipo de investimento o dinheiro aplicado é emprestado para o emissor, o dinheiro é utilizado pelos bancos no financiamento de dívidas, pagamentos e projetos. Em troca do dinheiro emprestado, o investidor recebe a chamada “taxa de rentabilidade fixa”.

Saiba o que é renda variável

Antes de aplicar algum montante nesta modalidade de investimento, é necessário ter consciência que os rendimentos ficam sujeitos a imprevisibilidade, isto é, ao contrário da renda fixa, não é possível ter certeza de qual será o rendimento final da aplicação.

Fonte: reprodução/internet

Esse tipo de investimento é feito por investidores que não se incomodam em correr alguns riscos, as oscilações podem ocorrer devido aos seguintes fatores:

  • Políticas econômicas;
  • Taxas de juros;
  • Cenário político global e nacional;
  • Inflação;
  • Variações do Produto Interno Bruto (PIB).

Como funciona a renda variável

A maior parte dos produtos financeiros dessa modalidade, são negociados pela bolsa de valores. Nas aplicações de renda variável é possível usufruir de mais flexibilidade quanto aos prazos, sendo válidas as aplicações de curto e longo prazo, ainda é possível participar de Day Trade, que são investimentos de apenas um dia.

É válido ressaltar que esse tipo de investimento é recomendado para aquelas pessoas que não tem problemas em perder algumas quantidades de dinheiro, já que é nesta modalidade que os investimentos sofrem mais riscos.

Sete requisitos e dicas para começar a investir

Agora que já conhecemos as duas modalidades de produtos financeiros disponíveis no mercado, é chegado o momento de descobrir quais são os requisitos e dicas para começar a investir na renda fixa ou na variável.

Fonte: reprodução/internet

Nos tópicos a seguir, você vai conferir o que é preciso saber antes de começar a aplicar seu dinheiro na bolsa de valores ou mesmo na poupança. Como já mencionamos, é necessário saber quais são os riscos que envolvem transações como essas.

Siga as instruções

É importante observar as dicas e colocar algumas delas em prática para que o objetivo de fazer um investimento rentável, seja cumprido.

Faça um planejamento financeiro

Antes de tudo e qualquer coisa, é necessário realizar o planejamento das finanças. É por meio dele que é possível identificar o que entra e sai das suas finanças. É por meio do planejamento orçamentário que se chega a um diagnóstico real das próprias finanças.

Fonte: reprodução/internet

Para a realização do planejamento, é recomendado o uso de uma planilha financeira, onde é possível identificar todos os gastos, inclusive selecionar os gastos desnecessários e essenciais.

Para que serve

Por meio do planejamento financeiro, são feitos os cortes de gastos e a fixação de valores e frequência com as quais é considerado plausível trabalhar na hora de fazer os investimentos.

Antes de investir, busque livrar-se de dívidas

Após a realização do planejamento orçamentário, ficou fácil livrar-se dos gastos considerados supérfluos, sendo assim, economizar se torna natural. Antes de reverter os ganhos economizados em investimentos, o ideal é utilizar uma parte para a quitação de dívidas.

Fonte: reprodução/internet

Esse passo é essencial antes de comprometer a renda com alguma aplicação. Fica complicado acumular algum patrimônio quando se tem dívidas e débitos atrasados. Livrar-se de pendências financeiras antes de aplicar seu capital pode auxiliar também na redução dos juros.

Para que serve o planejamento

Por meio do planejamento financeiro, levante informações sobre as pendências acumuladas, utilize a renda acumulada com o corte de gastos e negocie com os credores e emissores, valores mais acessíveis de serem pagos.

Identifique objetivos e seu perfil como investidor

Como já vimos neste artigo, existem tipos diferentes de investimento e assim como temos modalidades de produtos diferentes, temos também perfis variados de investidores. Assim como os perfis são importantes, os objetivos são fundamentais para guiar na hora de fazer as aplicações.

Eles podem ser definidos em curto, médio e longo prazo, esse pode ser o passo inicial para definir o percurso que se planeja traçar. Além dos objetivos claros e definidos, é necessário saber qual é o perfil de investidor que se pretende encarnar.

Conheça os perfis

São três tipos diferentes de investidor:

  • Conservador: este investidor tem a segurança como prioridade, por isso só aplica em alternativas que apresentam baixos riscos, não tolera perdas de capital;
  • Moderado: este perfil valoriza a segurança mas aceita alguns riscos, ou seja, permite-se investir em aplicações que apresentam poucos riscos. Tolera pouca perda de capital;
  • Agressivo: este é o perfil mais ousado entre os investidores, tolera perdas de dinheiro e busca investir na renda variável, isto é, com altos riscos de perdas e ganhos de capital.

Saiba quais são os investimentos recomendados para iniciantes

O recomendado para os iniciantes é investir na renda fixa. Quem não está acostumado com os altos e baixos da renda variável, pode acabar se desesperando ao ver seus rendimentos oscilando. Iniciar a vida como investidor pela renda fixa pode evitar frustrações desnecessárias.

Fonte: reprodução/internet

Nesse investimento, é exequível a compra de débitos de um banco (CDB), ou do governo (Tesouro Direto), o investidor recebe após um prazo estipulado, seu rendimento é dado de acordo com as correções dos juros referentes ao período, isto é, a rentabilidade dada é a prefixada.

Onde investir no começo

Nessa modalidade de investimento o investidor não corre risco de ver sua aplicação sendo influenciada pelos fatores que promovem a variação de aplicações no mercado financeiro.

Tenha uma reserva de recursos

Conseguir economizar é uma proeza que nem todos conseguem, porém tentar é sempre importante. Chamamos de reserva financeira, ou reserva de recursos, aquele dinheiro que fica guardado pronto para ser utilizado caso surja alguma emergência ou imprevisto.

Fonte: reprodução/internet

Esse capital é essencial para a manutenção de recursos de um grupo familiar. É possível iniciar a reserva aplicando investimentos na renda fixa. Recursos em reserva podem ser utilizados para qualquer eventual necessidade que aparecer.

Saiba quando começar a aguardar

Esse passo deve ser dado após a quitação dos débitos e pendências, reiteramos que não é possível acumular patrimônio tendo dívidas em aberto.

Tenha autocontrole

Quando se começa a investir e a receber os rendimentos desses investimentos, é importante saber ter autocontrole, preservar os ganhos e aplicar o que puder ser aplicado. Neste momento é preciso retornar ao primeiro passo do planejamento financeiro.

Fonte: reprodução/internet

Novamente organizar o orçamento e identificar os ganhos e perdas, o que pode ser investido novamente e o que vai ser destinado a reserva de recursos. Ter em mente os objetivos previamente definidos pode facilitar a vida do investidor.

Para que servem os objetivos

As metas e objetivos guiam o caminho dos investidores, é por meio deles que se sabe em que estágio se está e o quanto falta ainda para alcançar o ideal ambicionado, é necessário ter autocontrole e foco para não acabar desandando no processo.

Encontre a instituição financeira ideal

Antes de começar a investir, é necessário encontrar uma instituição financeira que ofereça as melhores opções para seu perfil como investidor. É por meio das corretoras de valores que as aplicações são feitas.

Fonte: reprodução/internet

Para iniciar a trajetória como investidor, é necessário solicitar a abertura de uma conta na instituição que melhor lhe aprouver. Normalmente as aberturas de contas em corretoras são gratuitas, após a aprovação da conta, o sujeito solicitante terá acesso a dezenas de opções de investimentos.

Para que serve a corretora de valores

O papel da corretora de valores é auxiliar na hora de encontrar o investimento ideal para o seu perfil. É recomendado tomar cuidado com indicações de gerentes de bancos, estes podem receber comissão para “indicar” uma corretora.

Investir com responsabilidade

Atualmente é muito fácil investir com segurança, graças a quantidade de informação que vem sendo disponibilizada, o mercado financeiro abriu suas portas e agora até mesmo pessoas comuns podem investir na bolsa de valores.

Todas essas novas possibilidades devem ser usufruídas com bastante responsabilidade. Afinal, é necessário entender um pouco sobre investimentos antes de sair aplicando a renda sem conhecimento de causa. Com as sete dicas acima é possível começar a investir ainda este ano. Aplique as dicas no dia-a-dia e veja como suas finanças poderão se transformar.