Conheça a melhor maneira de investir em uma aposentadoria privada

Dedicar-se ao melhor investimento para a aposentadoria pode ajudá-lo a parar de trabalhar mais cedo e reduzir as dores de cabeça. Sem contar que essa pode ser uma maneira de alcançar objetivos e sonhos de longo prazo, como garantir um futuro de paz para sua família.

ANÚNCIO

Uma boa forma de conseguir fazer isso é investir em fundos de pensão privados, por exemplo. Neste artigo, você aprenderá tudo sobre a previdência privada e sobre investimentos para a aposentadoria privada com diferentes métodos de tributação e lucratividade.

Fonte: reprodução/internet

Entretanto, essa escolha depende apenas dos seus objetivos de vida, bem como sua disponibilidade financeira. Neste artigo você lerá conteúdos, como:

ANÚNCIO
  • A importância de se pensar na previdência;
  • As diferenças entre as previdências social e privada;
  • Vantagens e desvantagens da previdência privada;
  • Os tipos de previdência privada e suas tributações;
  • Como planejar a aposentadoria privada e muito mais.

Porque se preocupar com a previdência

Na maioria das vezes, uma pessoa só se preocupa com a sua aposentadoria após anos de trabalho. Agir dessa forma não é o cenário recomendado. Quem deseja ter um bom planejamento financeiro pessoal, deve se preocupar o quanto antes com a aposentadoria.

Fonte: reprodução/internet

Normalmente, o valor do INSS é muito menor do que podemos imaginar. Inclusive, uma pesquisa da SPC mostrou que 21% dos aposentados precisam continuar trabalhando, enquanto 47% dos funcionários precisam aumentar sua renda.

ANÚNCIO

Além disso, a expectativa de vida dos brasileiros está aumentando e as pessoas estão vivendo cada vez mais. Como resultado, o sistema público de pensões encontrou um problema sério: muito poucos funcionários pagam benefícios aos aposentados.

Como o INSS funciona na verdade

Normalmente, imaginamos que o governo guardava a nossa contribuição para nos devolver, mas não é isso o que acontece. Na verdade, as suas contribuições foram destinadas aos idosos que já estão aposentados. Por isso muitas pessoas optam pela previdência privada.

Previdência Privada x Previdência Social

A seguridade social é de responsabilidade do governo e garante que os trabalhadores para que possam continuar a receber renda após a aposentadoria. É por isso que uma parte do seu salário é cobrada todo mês: para que "volte" para você quando parar de trabalhar.

Fonte: reprodução/internet

Mas há dois grandes problemas com esse sistema:

  1. O governo brasileiro não só paga os pagamentos da previdência social aos contribuintes, mas também aos familiares do segurado quando morrem.
  2. Quem paga por isso são os trabalhadores ativos, que financiam os inativos.

Além disso, à medida que as pessoas vivem mais, os ativos superam cada vez menos os inativos. Portanto, em muitos casos, esse "subsídio" pode não garantir o nível de vida que você tinha anteriormente, e é aí que entra a previdência privada.

Como o nome sugere, é uma forma de investimento alternativa, que é indicada para quem não quer contar apenas com o governo para garantir uma aposentadoria confortável ou deseja realizar planos de longo prazo, como pagar a faculdade dos filhos, por exemplo.

O governo incentiva o investimento em previdência privada

O governo sabe que o sistema de seguridade social é insustentável no longo prazo, por isso aplica incentivos fiscais para quem investe em previdência privada. Ao escolher o sistema tributário, por exemplo, quanto mais tempo, menos imposto é cobrado em cada aplicação.

Algumas vantagens da previdência privada

Tanto a previdência social quanto a previdência privada possuem inúmeras vantagens, mas isso vai depender da sua situação financeira. Confira a seguir algumas vantagens da Previdência Privada que podem te ajudar a decidir se é melhor optar por ela ou não.

Fonte: reprodução/internet

Vantagens da previdência privada:

  • Não possui come-cotas;
  • Imposto de Renda mais baixo;
  • Adiamento fiscal de até 12% do IR (PGBL);
  • Desenvolve a disciplina financeira;
  • Não entra em inventário e possui isenção de ITCMD;
  • Rapidez e agilidade no pagamento aos beneficiários.

Sobre as desvantagens

Uma das desvantagens de investir em previdência privada é a baixa liquidez, já que ela não é um investimento indicado para o curto ou médio prazo e, por isso, resgatar antes do prazo acordado, pode causar prejuízos. Outra desvantagem são as restrições de investimento e alocação, além da rentabilidade que não é a melhor.

Tipos de Previdência Privada

Atualmente existem, basicamente, 2 tipos de Previdência Privada, que na verdade são espécies de planos de previdência. Confira a seguir quais são essas formas de aposentadoria e suas respectivas tributações.

Fonte: reprodução/internet

Os dois tipos são:

  • PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre):Adequado para pessoas de alta renda, já que o valor pago pode ser deduzido do imposto de renda. No entanto, quando o valor total é retirado, haverá tributação;
  • VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre): Adequado para grupos de baixa e média renda. Nenhum imposto de renda é deduzido. No entanto, ao resgatar esta pensão, apenas o valor do imposto é tributado.

Tipo de tributação do fundo de previdência

Independente do tipo de previdência privada escolhido, você precisará optar por um dos dois regimes tributários: o progressivo (15% a 27,5% da sua aplicação fica retida na fonte) ou regressivo, com retenção variando de 35% a 10%, conforme o tempo de aplicação, como mostra a tabela a seguir.

Período decorrido do aporte Alíquota de IR
Até 2 anos 35%
de 2 a 4 anos 30%
de 4 a 6 anos 25%
de 6 a 8 anos 20%
de 8 a 10 anos 15%
Mais de 10 anos 10%

Como planejar a Aposentadoria

Para evitar medo e imprevistos ao longo do caminho, você precisa se planejar para ter uma boa aposentadoria imediatamente. Tê-la significa ter independência financeira. Portanto, quanto mais cedo for implementado, melhor.

Fonte: reprodução/internet

Além disso, quanto mais tempo você tem para investir, menos esforço será gasto por mês para atingir seus objetivos. Nesse, é importante considerar alguns aspectos importantes antes de dar início aos seus investimentos.

Aspectos que devem ser levados em conta

Pensar nas seguintes perguntas te ajudará a fazer um plano mais consistente, confira:

  • Quanto você pode poupar hoje?
  • Com quantos anos pretende se aposentar?
  • Com que renda deseja viver ao se aposentar?
  • Quantos tempo ainda falta até a sua aposentadoria?

Avalie e escolha com quantos anos você deve se aposentar

É fundamental que você seja bastante realista no momento de definir a idade com que você deseja se aposentar. Pois quanto mais próxima a data da aposentadoria, maior é o valor do seu investimento mensal.

Fonte: reprodução/internet

Além disso, quem dispõe de mais tempo para realizar um investimento para aposentadoria, pode optar por ativos com mais risco, como as ações, e ainda são beneficiados pelos juros compostos. Vale destacar que, os investimentos de renda fixa de longo prazo costumam render mais.

Cálculos da aposentadoria

Sobre a aposentadoria por idade, com as novas regras, a idade mínima é de 62 anos para mulheres e 65 para homens. Também é possível simular a aposentadoria por tempo de contribuição por meio do simulador Gov.br. Para isso é necessário acessar a plataforma “Meu INSS”.

Calcule os gastos que você terá ao se aposentar

A única pessoa que pode definir sua renda futura é você mesmo, mas é claro que é possível solicitar auxílio de quem entende do assunto. Para fazer esse cálculo, você precisa considerar todas as despesas possíveis, como seguro saúde, transporte, alimentação, medicamentos, viagens e etc.

Fonte: reprodução/internet

Definir esse valor visualizando quanto você quer ter para gastar todo mês quando já estiver aposentado também é uma opção. Portanto, todas as suas despesas deverão estar dentro deste valor predeterminado. Vale lembrar que os gastos médicos serão maiores do que os atuais.

Simulador de gastos

Na internet é possível encontrar diversos simuladores do quanto é necessário que você tenha acumulado ao se aposentar. Um simulador gratuito, por exemplo, é o disponibilizado pelo site Icatu Web, que permite, inclusive, a impressão dos resultados da simulação.

Faça uma reserva financeira para emergências

É fundamental que além da sua retirada mensal, você planeje uma reserva financeira para emergências, que é uma segurança necessária em qualquer fase da vida e em qualquer idade. Até porque nunca se sabe quando algo inesperado pode acontecer.

Fonte: reprodução/internet

Por outro lado, surpresas financeiras durante a aposentadoria podem ser um pouco mais agressivas, já que os seus gastos já estarão todos planejados. Nesse sentido, uma surpresa pode afetar o seu orçamento mais que o normal em um determinado mês.

Como calcular a reserva de emergência

Como já recomendamos, primeiro tente calcular seu custo de vida durante a sua aposentadoria. Para calcular qual deve ser o valor da reserva, basta multiplicar o valor do seu custo de vida (mensal) por 6 ou por 12. Ou seja, caso algo aconteça, você poderá se sustentar usando a reserva de 6 a 12 meses.

Leia também: Cresce o número de investimentos realizados por pessoas físicas.

Descubra qual o melhor investimento para seu futuro

Por motivos óbvios, para isso não existe uma resposta correta. Tudo depende dos seus dados pessoais e da sua capacidade de correr riscos. Portanto, antes de definir qual investimento de aposentadoria é melhor para você, defina seu perfil de investidor.

Fonte: reprodução/internet

Isso pode ser feito na internet rápida e gratuitamente em qualquer site da corretora de investimentos. Apesar disso, quanto maior for o tempo entre hoje e a aposentadoria, maior é o risco que você pode assumir, podendo até investir em renda variável (ações).

Investimentos por situação

Situação 1: Se você tem 23 anos e pretende se aposentar aos 60, uma boa opção é investir parte de seu dinheiro em ações. Portanto, você terá uma chance maior de lucro. Nesse caso, você pode investir cerca de 40% do seu investimento em renda variável.

Situação 2: Se sua meta é se aposentar aos 60, mas você tem entre 40 e 50 anos, deve ter cuidado com a renda variável. Em outras palavras, não o use como uma grande fonte de investimento para a aposentadoria. Por exemplo, aloque no máximo de 10% a 15% para comprar ações.

Situação 3: Se você tem entre 23 e 40 anos, é recomendável que você não invista mais do que 35% do seu dinheiro em renda variável. Se possível, escolha uma conta que pode gerar altos dividendos e você lucrará com a valorização das ações e com o pagamento de dividendos.

Analise bem antes de escolher

Agora está claro que os planos de previdência privada são essenciais para garantir uma boa aposentadoria e ajudá-lo a atingir seus objetivos de longo prazo. Vale ressaltar que, se trata de um investimento de longo prazo, por isso veja todas as opções com atenção antes de ingressar em um plano.

Referências

Simulador gratuito - Simulador - Target

Simulador Gov.br - Simular a Aposentadoria por Tempo de Contribuição — Português (Brasil).