Apesar dos riscos, crediário é opção de 30% dos brasileiros

Uma das formas de financiamento disponibilizadas ao consumidor é o crediário. Essa modalidade é uma opção para aqueles clientes que, por alguma razão, não conseguem fazer o pagamento à vista de uma compra.

ANÚNCIO

Com juros altos, o crediário está cada vez mais acessível e popular. As taxas altas muitas vezes são o motivo do acúmulo de dívidas entre os brasileiros. No entanto, essa realidade não parece assustar o consumidor.

Segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas - CNDL, de cada 10 brasileiros, três ainda usam o crediário como opção e isso pode causar alguns impactos negativos nas despesas mensais das pessoas.

ANÚNCIO
Foto: Reprodução/internet

Crediário ainda é influente entre brasileiros

O crediário é uma alternativa mais antiga, que já foi mais popular em outras décadas. Atualmente, existem várias formas de contratar uma linha de crédito. Mas, mesmo assim, parece que a modalidade mais antiga ainda está bem presente na vida do consumidor brasileiro.

Neste ano, foi realizada uma verificação em todo o país pela CNDL e pelo Serviço de Proteção ao Crédito - SPC. No levantamento, foi possível observar que 30% dos brasileiros estiveram envolvidos em negociações com crediário nos últimos 12 meses.

ANÚNCIO

Desse percentual, 26% utilizaram o formato (boleto a prazo, carnê ou cartão para compras de uma loja específica) em todos os meses. De acordo com entrevistas realizadas, o principal motivo para a recorrência do crediário foi a falta de condições para fazer o pagamento à vista, cerca de 35%.

Vantagens do financiamento

Uma outra parcela, menor, chegou à conclusão de que o financiamento seria uma boa alternativa devido à pouca burocracia existente em algumas lojas. Outros 20% dos entrevistados usaram o crediário para conseguir fazer compras maiores e de mais itens.

Entre aqueles que usam a modalidade, 30% veem muita vantagem em poder parcelar o valor das compras. 19% consideram um benefício o fato de poder comprar sem ter dinheiro em mãos.

A modalidade oferece grande risco

No entanto, nem tudo são flores para os usuários dessa forma de financiamento. Afinal, quanto mais poder de compra disponível, maior é a tendência de o consumidor acabar atolado em dívidas. E é exatamente isso que aconteceu com 44% dos adeptos ao crediário, que acabaram sendo negativados.

Por outro lado, esse número também aponta para uma um bom desempenho do consumidor em relação ao ano passado. Afinal, quando comparados os dois períodos, houve uma queda de 15% nesse percentual. Além disso, a maioria dos cidadãos envolvidos com o crediário (80%) afirma estar com todas as parcelas em dia.

Fonte: reprodução/internet

José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil faz um alerta muito importante quanto ao crediário:

“Pagar no crediário permite que a pessoa adquira uma maior quantidade de itens e se comprometa com uma prestação mais acessível, dentro dos limites do orçamento mensal. O problema é que essa facilidade pode favorecer o consumo impulsivo e até mesmo o descontrole nas compras.

Então, é essencial refletir sobre a real necessidade de cada item e fazer as contas para saber se a parcela, ainda que de valor baixo, não irá comprometer o pagamento de outras despesas já assumidas a cada mês.”