Descubra dicas para deixar as contas de água e energia mais baratas

Sabe aquela coisa que a gente diz: “se eu soubesse que isso faria tanta diferença teria feito antes”? Pois é, quando se trata de energia e água não tem jeito: a economia e o racionamento são as melhores formas de economia e de pensar no meio ambiente.

ANÚNCIO

Por isso mesmo, a gente trouxe aqui 10 conselhos que, com certeza, você daria para você mesmo se fosse mais velho. Com certeza, são dicas simples e que você já até ouviu, mas nunca deu a devida atenção. Agora, se quiser baratear a conta, então, é hora de começar. Os tópicos listados são:

10 – Use a iluminação natural

Talvez não tenha técnica mais antiga e objetiva na face da Terra do que essa daqui: use o máximo possível da iluminação natural. Ou seja, da luz solar, da luz do dia. Isso é bom porque faz muita diferença no seu orçamento doméstico. Então, comece a pensar nisso.

ANÚNCIO

Algumas ideias bem simples são deixar mais a janela aberta, trocar imóveis de lugar ou colocar telhas transparentes em pontos estratégicos. Outra ideia que pode significar um investimento mais caro no começo, mas faz economia lá na frente é usar cortina translúcida.

Foto: (reprodução/internet)

Por fim, talvez esse ponto não resolva para você agora e sim para o futuro: quando for comprar um imóvel pense no nascer e no pôr do sol. Isso pode ajudar você a ter mais claridade em casa e sem precisar ficar com os raios solares fortes, esquentando a casa toda.

ANÚNCIO

9 – Prefira lâmpadas de led

Para muita gente, esse é um investimento caro. No entanto, saiba que você pode ir fazendo a troca aos poucos, gradualmente, para que o custo inicial não seja tão alto ou afete ainda mais o seu orçamento. Sobre o que estamos falando? Usar lâmpadas de led.

Foto: (reprodução/internet)

Hoje em dia está mais do que provado que elas são sim muito mais econômicas. É claro que isso vai ter o custo no começo porque elas custam mais caro do que as lâmpadas mais convencionais. No entanto, em poucos meses, o retorno aparece para você.

Esse tempo, em meses, pode variar conforme o tanto que você usa energia e como foi a sua troca. Mas, de um modo geral, após 3 meses dá para ver que o investimento começa a se pagar, sendo uma possibilidade das mais inteligentes para quem quer economizar.

8– Use o chuveiro no modo verão

A próxima dica é sobre aprender a usar o chuveiro da forma certa. Aqui a gente precisa considerar alguns pontos importantes. De um modo geral, aqui no Brasil, depois do ar-condicionado, o chuveiro é um dos eletrodomésticos que mais consomem energia.

Foto: (reprodução/internet)

Sendo assim, a dica é simples: use menos o chuveiro. Ao mesmo tempo, ele também gasta água, o que acaba sendo um gasto duplo. Portanto, se há outra boa dica é usar menos o chuveiro com água quente. Ou seja, com uma única atitude você consegue duas economias significativas.

Agora, a questão de usar o chuveiro no modo “Verão” é bem interessante porque esse tipo de modo é até 50% mais econômico do que usar no “Inverno”. E o Brasil é um país tropical na maior parte do tempo. Logo, usar no “Verão” não é algo assim tão impossível, né.

7 – Tenha aparelhos em stand-by

Outra dica que faz muita diferença, mesmo que pouca gente saiba, é sobre deixar os aparelhos eletrônicos ligados na tomada mesmo quando não estão em uso. É o famoso stand-by, que acontece com computadores, televisores, micro-ondas, entre outros.

Foto: (reprodução/internet)

O que acontece é que mesmo que a TV esteja desligada, se estiver ligada na tomada vai ter um consumo de energia. Claro que esse consumo será menor. Porém, ainda assim é um consumo que pode ter um peso significativo lá no fim do mês.

Por isso, sempre que for possível use tomadas de fácil acesso para que os aparelhos possam ser desligados de forma completa. Só por curiosidade, basta notar que a luzinha vermelha/verde fica acessa no aparelho. E isso significa energia.

6 – Lembre de revisar os aparelhos

Para quem tem famílias muito grandes ou trabalha em casa, considere que fazer a revisão de aparelhos específicos também pode significar um gasto no começo, porém, com um ótimo retorno no fim das contas. O motivo é simples: aparelhos desregulados gastam mais energia.

Foto: (reprodução/internet)

Isso vale, especialmente, para as geladeiras e até mesmo para aparelhos de ar-condicionado. O ideal é que eles tenham manutenção periódica, respeitando os dados da fabricação. Por exemplo, nem sempre a gente nota, mas a geladeira precisa trocar de borracha, sabia?

Isso mesmo, aquela borracha que fica na porta e impede a entrada ou saída de ar quente ou frio. Essa troca de temperaturas é que faz a geladeira gastar mais ou menos energia. Sem contar que a revisão também pode indicar outros problemas indiretos.

5 – Fique de olho nos eletros com Selo A

Mais uma dica que faz todo sentido é sobre a compra de novos aparelhos, sejam os eletrodomésticos, os eletrônicos ou quaisquer outro que seja ligado na tomada. Atualmente, as empresas são obrigadas a indicar quão econômicos são.

Foto: (reprodução/internet)

O que quer dizer que se forem Selo A, da Procel, então, ele é econômico. Porém, a partir da letra C adiante significa que você terá um gasto bem maior na conta de energia. Conforme estudo da Proteste, só essa simples troca de aparelhos por mais econômicos gera economia de quase 70% no fim do mês.

E para quem não sabe, o Procel é o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica. Assim, ele disponibiliza informações sobre os melhores produtos e melhores marcas do ponto de vista do gasto e da sustentabilidade.

4 – Fique de olho na fuga de Energia

Você já ouviu falar sobre a fuga de energia? É claro que não é algo comum, e ainda bem. Porém, talvez o seu consumo de energia em casa esteja alto demais por conta dessa realidade. O que quer dizer que pode estar havendo um escape de energia na sua casa.

Foto: (reprodução/internet)

Para isso, tem um jeito fácil de verificar: desligue todos os aparelhos da tomada, apague as luzes também e vá até o seu medidor de consumo, que fica no registro geral. Se ele continuar girando, obviamente, pode indicar uma fuga de energia.

Nesse caso, o melhor caminho é procurar um eletricista para descobrir onde está o possível vazamento ou se atentar para outros problemas que podem estar causando essa fuga. Esse tipo de acontecimento não é tão raro assim.

3 – Use temporizadores e sensores

É inegável que hoje em dia a gente tem na palma da mão uma série de funcionalidades que antes não existiam. E também não dá para negar que a gente pode usá-las de forma inteligente, como para economizar no consumo de energia mensal.

Foto: (reprodução/internet)

O que queremos dizer é que existem aparelhos, especialmente eletrônicos, que permitem que você ligue uma espécie de temporizador para que ele desligue automaticamente a partir do que você configurou. Isso vale para computadores, televisores, câmeras e até ar-condicionado.

Há ainda os aparelhos com sensores, como as luzes externas da casa ou mesmo da sala. Assim, elas se acendem ou se desligam com base na presença de pessoas ou movimentos. Esse também pode ser um jeito econômico de você pensar na sua casa.

2 – Reaproveite a água

Já quando a gente direciona o assunto para a economia de água, considere que uma das melhores técnicas é a de reutilizar água. Isso porque o nosso consumo diário, de uma forma geral, é muito acentuado, em quase todas as casas do país.

Foto: (reprodução/internet)

Sendo assim, pense em reutilizar a água da máquina de lavar, por exemplo. Com ela, você pode lavar o quintal, talvez. Ou dá para reusar a água da chuva, se você montar um sistema caseiro mesmo e assim dá para lavar objetos. E assim por diante.

1 – Deixe a torneira fechada

Mais uma dica que vem lá desde a infância e que faz todo sentido até hoje: quando não estiver em uso, feche a torneira. Isso vale para quando você estiver escovando os dentes ou tomando banho, por exemplo. Enquanto escova ou enquanto se ensaboa, desligue.

Foto: (reprodução/internet)

Para lavar a louça, também. Ligue somente quando for para enxaguar os pratos e utensílios. No contrário, enquanto está esfregando, o ideal é que mantenha a torneira fechada. E isso vale para o tanque e outros lugares que tenham água e torneira, ok?

Saiba quanto você gasta por aparelho em casa

Tem uma conta muito simples que é feita para saber quanto você pode estar gastando de energia com cada aparelho que tem em casa. Geralmente, os aparelhos possuem indicação de potencial. Assim, 1.000W é igual 1kW. E ligado 1 hora, ele terá gasto 1kWh.

Já para transformar isso em reais, o que você faz é pegar o valor e multiplicar pelo valor residencial, que geralmente é de R$ 0,30 o quilowatt-hora. Por exemplo, um aparelho de 1.000W que fica ligado 2 horas por dia vai gastar 60 kWh. E quando a gente multiplica isso pelos R$ 0,30, a gente tem um valor mensal de R$ 18.