Número de vítimas de fraudes financeiras chega aos 12 milhões

Recentemente, foi divulgada uma pesquisa pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas - CNDL a respeito de fraudes financeiras. De acordo com o levantamento, esse tipo de golpe está atingindo um número cada vez maior de brasileiros.

ANÚNCIO

A modernização dessas fraudes está sendo ainda mais recorrente com as inúmeras possibilidades oferecidas pelo avanço tecnológico. Além disso, as oportunidades surgem com mais facilidade para aplicar métodos inusitados.

Com o aumento do uso de redes sociais e meios eletrônicos para pagamentos de contas, os golpes tem ficado cada dia mais recorrentes. É importante ficar atento para evitar situações constrangedoras.

ANÚNCIO
Fonte: reprodução/internet

Cuidados básicos para evitar as fraudes

José César da Costa, que é o atual presidente da CNDL, faz um adendo muito importante a respeito desta problemática.

“O comércio eletrônico tem crescido consistentemente no Brasil, em grande medida, devido a uma combinação entre diversidade, preços competitivos, comodidade e segurança nos mais diversos segmentos de consumo.”

ANÚNCIO

Com isso, o cuidado do brasileiro ao utilizar estes meios para realizar as suas compras necessita ser dobrado. Porém, não é isso o que vem acontecendo. É possível perceber que os cuidados necessários são básicos.

Um exemplo disso é a dica de estar sempre atento àquelas ofertas que estão muito abaixo dos valores comuns. Até mesmo em uma loja física a desconfiança surgiria, mas um falso entendimento de que na internet as coisas são mais baratas tem provocado o engano do consumidor.

Conheça alguns dos truques mais comuns

Entre as muitas técnicas que são usadas por quadrilhas para aplicar esses golpes, existem alguns que são mais frequentes. Entre eles, o que lidera a popularidade é o não envio de algum item comprado.

Segundo a pesquisa, 52% dos entrevistados já caíram nessa jogada. Após esse grupo, estão aqueles que pagaram por um produto ou serviço que não correspondia às características fornecidas pelo vendedor, com 42% dos indivíduos.

A clonagem de cartões, sejam eles de débito ou crédito, está em terceiro lugar nesta lista, com um total de 25% dos que foram lesados. Além desses, um outro grupo é o que teve compras realizadas em seu nome através de documentos que haviam sido roubados.

Consumidores prejudicados

Essa ações criminosas trazem inúmeros prejuízos, além da perda de dinheiro, é claro. Por exemplo, foi muito comum entre os cidadãos prejudicados um aumento no nível de estresse, consequência essa que foi apontada por 52% das pessoas que passaram por esse tipo de situação.

Além disso, também foram relatados alguns casos de problemas psicológicos por 16% dos entrevistados. Entre eles estão enfermidades de depressão e ansiedade. Porém, todos esses problemas de saúde são fruto de um outro: o nome negativado.

Muitas dessas vítimas acabam perdendo grandes valores nessas negociações com desfecho fraudulento. Por isso, cerca de 30% das vítimas chegou a ter problemas com o Serasa. Um outro dado importante também é que em média 34% dos consumidores não conseguiram recuperar seu dinheiro.

Dicas para fugir dos golpes

Existem algumas medidas que podem ser adotadas para que essas fraudes financeiras não sejam mais um problema. A mais importante de todas é estar sempre atento aos sites em que se está comprando determinada mercadoria. Assegure-se de que se trata de um site confiável.

Um outro conselho é fazer uma rápida pesquisa a respeito da loja online de interesse nos sites de reclamação. Certifique-se de que a empresa é séria e comprometida com o seu cliente.

Também é importante não clicar em qualquer anúncio, pode ser que você seja direcionado a uma oferta falsa. Esteja sempre atento, em hipótese alguma forneça as informações do seu cartão de crédito ou os dados de sua conta bancária em sites de compra duvidosos.